Sono REM

Quer receber mais conteúdos gratuitos sobre o sono?

CloseIconMenu

14 de janeiro, 2022

Sono REM

Sono REM

O sono dos seres humanos é dividido em ciclos de aproximadamente 90 minutos. Esses ciclos, por sua vez, são divididos em quatro fases com características, funções e durações bem diferentes entre eles: Sono Não-REM 1, Sono Não-REM 2, Sono Não-REM 3 (sono profundo) e Sono REM.

É justamente no sono REM que vamos nos aprofundar hoje. Apesar de ser conhecido por ser a fase do sono em que os sonhos mais acontecem, ele é muito mais do que isso e tem funções importantíssimas para a nossa saúde física, mental, psicossocial e cognitiva.

O que é o Sono REM

REM é a sigla para Rapid Eye Movement, ou “movimento rápido dos olhos”, uma descrição exata do que acontece nessa fase do sono: os olhos se movem rapidamente enquanto a pessoa dorme.

Em um ciclo do sono padrão, essa é a quarta e última fase, com uma característica bem peculiar em relação à sua duração: ela vai progressivamente crescendo com o passar das horas dormidas. Enquanto no começo da noite ele dura cerca de 10 minutos, nos últimos ciclos do sono sono REM pode chegar a até uma hora de duração.

Esse é um dos motivos pelos quais o chamado sono polifásico, praticado por estrelas como Cristiano Ronaldo, não é recomendado pela medicina e ciência do sono. 

Diferença com o sono não-REM

Além das diferentes funcionalidades no organismo e para a saúde (a seguir), a grande diferença entre os sonos REM e não-REM está no movimento dos olhos. Não é à toa que todas as demais fases se chamam “non rapid eye movement”, inclusive aquelas com nome mais popular, como o sono profundo (NREM 3).

Durante o sono REM ainda acontece um fenômeno chamado atonia, que veremos a seguir.

O que acontece no corpo durante o sono REM

Além dos movimentos dos olhos, outro fenômeno é característico do sono REM: a atonia.

A atonia é uma perda temporária do tônus muscular, como uma paralisia temporária dos músculos do corpo. Apenas os olhos e a musculatura de respiração permanecem ativos. 

Essa imobilização protege você de você mesmo, ou melhor, dos seus sonhos. Como o conteúdo narrativo deles muitas vezes envolve movimento e ação, o natural seria que o seu corpo reagisse a isso e se movimentasse junto. A atonia previne que você responda fisicamente aos sonhos e funciona como uma espécie de proteção para o seu corpo.

Já imaginou chutar o seu companheiro de cama só porque você sonhou que era o Neymar? Então.

Se uma pessoa acorda durante o sono REM, enquanto está em atonia, é possível que ela não seja capaz de se mover ou de falar, o que pode ser uma experiência assustadora conhecida como paralisia do sono, um distúrbio do sono tecnicamente inofensivo mas que pode prejudicar a pessoa devido ao seu caráter aterrorizante. 

Ainda durante o sono REM a respiração fica agitada e irregular, os batimentos cardíacos aceleram e a atividade das ondas cerebrais fica mais similar àquela que temos acordados. 

Funções do sono REM

Os sonhos são indiscutivelmente a ocorrência mais famosa do sono REM, mas na verdade eles podem acontecer em qualquer fase do ciclo do sono, inclusive nas mais leves. 

As características de aceleração da atividade cerebral dessa parte da noite, porém, fazem com que os sonhos que acontecem durante essa etapa sejam vividos, surreais e bizarros e, portanto, mais facilmente lembrados.

O porquê de nós sonharmos, porém, ainda é um mistério para a ciência. Não existe uma conclusão definitiva consensuada e ela nem sequer é esperada. As teorias que existem atualmente vão desde a existência do sonhar como uma forma de processar emoções e fazer um filtro entre as informações necessárias e as desnecessárias retidas pelo cérebro e até mesmo um “acidente” de percurso cerebral sem nenhuma função ou significado especial. 

Abaixo, você conhece outras funções do sono REM na sua vida e saúde.

Consolidação de memórias

Durante o sono, tudo o que você viveu durante o dia vai sendo “digerido” pelo cérebro e transformado em memórias. Durante o sono profundo os aprendizados são processados, mas é durante o sono REM que os acontecimentos são transformados em memórias definitivas.

Isso ocorre porque as lembranças são transferidas do hipocampo para o neocórtex. É como se você transferisse um arquivo do seu computador de uma pasta temporária para uma definitiva.

Processamento emocional 

O sono REM demonstra perfeitamente a capacidade do sono de modular as experiências e cadeias afetivas de uma pessoa. Não é à toa que pessoas com depressão apresentam uma diminuição da duração do sono REM. 

Desenvolvimento do Sistema Nervoso Central

indícios claros de que o sono REM é o grande  responsável pela estimulação neural que é necessária para que o cérebro se desenvolva adequadamente durante a infância. 

Não é à toa que o ele é mais longo nas crianças e vai diminuindo ao longo dos anos.

Distúrbios do sono REM

Quando você lê sobre a importância de dormir bem à noite é por conta dos benefícios do sono para a saúde e para evitar os prejuízos que as noites ruins trazem para você e para a sociedade. 

Passar por todas as fases do sono várias vezes durante a noite também é importante porque permite que o tempo de cada uma delas vá se ajustando com o passar das horas. Lembra quando dissemos que o sono REM vai ficando mais longo? É isso.

Prejudicar esse fluxo é prejudicar a sua saúde.

Rebote do Sono REM

Rebote de sono em geral é um termo usado quando o tempo de sono de uma pessoa é aumentado.

O rebote do sono REM é o mesmo, mas referindo-se especificamente a essa fase. Ou seja, quando a frequência, intensidade e quantidade de tempo passado no sono REM é aumentado temporariamente. 

O estresse e a falta da quantidade de tempo adequado de sono causam o rebote consequente, assim como hormônios como a prolactina e a serotonina. 

Distúrbio do pesadelo

É importante diferenciar o pesadelo do distúrbio do pesadelo. Esse segundo é um distúrbio do tipo parassonia caracterizado por pesadelos frequentes que interferem no sono, no humor e na produtividade.

Traumas, estresse e histórico familiar são gatilhos para o distúrbio.

Paralisia do sono

A paralisia do sono é um fenômeno em que a retomada da consciência ocorre ao mesmo tempo que a atonia muscular. 

Isso faz a pessoa estar plenamente consciente daquilo que está ao seu redor, mas a incapacidade de se movimentar gera uma sensação de medo, amplificada pelas alucinações e sensações de pressão no peito que frequentemente acompanham os episódios. 

Leia sobre a paralisia do sono no nosso post especial clicando aqui.

Narcolepsia

A narcolepsia é uma hipersonia primária, ​​ou seja, um excesso de sono sem causa anterior, como, por exemplo, os microdespertares da apneia.

Os ataques de sono da narcolepsia são irresistíveis e podem acontecer a qualquer momento, até mesmo em situações perigosas. Com foco e treino, o cair no sono pode ser combatido, mas a sensação de sonolência é inevitável. 

Leia mais sobre a narcolepsia no nosso post especial clicando aqui.

Quer receber os melhores conteúdos sobre sono direto no seu email? Inscreva-se na newsletter do Persono na parte inferior do blog.

Boa noite!

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email