Novembro Azul: Sono e Câncer de Próstata

09 de novembro, 2021

Novembro Azul: Sono e Câncer de Próstata

Depois do Outubro Rosa, dedicado à saúde das mulheres, vem o Novembro Azul, dedicado à saúde dos homens, mais especificamente à prevenção e o combate ao câncer de próstata.

Ao contrário do que acontece com o câncer de mama, porém, a luta contra os tumores na próstata acaba sendo mais silenciosa, menos aberta. Parte disso é culpa de um medo e inclusive de um preconceito homofóbico de uma porção machista da sociedade com o exame preventivo.

A história do Novembro Azul

O travesseiro Persono é usado para monitorar o sono e é recomendado pelos atletas do Time Brasil e pelo COB - Comitê Olímpico Brasileiro

Apesar de existirem campanhas de conscientização sobre o câncer de próstata desde o final dos Anos 90, o Novembro Azul como conhecemos hoje começou como uma brincadeira de bar de um grupo de amigos australianos em 2003.

Certo dia eles perceberam que várias modas dos Anos 70 estavam voltando, menos os bigodes. Os amigos decidiram, então, que todos iriam aparar as barbas e deixar seus bigodes crescerem; o melhor levaria um prêmio. O “evento” foi chamado por eles de “movember”, uma mistura de “mo” (gíria australiana para bigode) e “vember” (de novembro, que era o mês em que ocorreria o “concurso”).

Um ano depois, o grupo decidiu repetir a brincadeira e, papo vai, papo vem, seu deu conta que, se outubro era o mês da saúde da mulher, o movember poderia ser usado para os homens e o alerta sobre o câncer de próstata.

O movimento movember pouco a pouco foi ganhando tração e ficou conhecido no mundo inteiro. No Brasil, ele virou Novembro Azul em 2012. Antes, a campanha era conhecida como “Um Toque, Uma Vida”, do Instituto Lado a Lado Pela Vida.

Dados sobre o câncer de próstata no Brasil

Excluindo os casos de câncer de pele não melanoma, o câncer de próstata é o tipo de câncer de maior incidência no Brasil, com um risco estimado de 62,95 casos novos a cada 100 mil homens. 

Como comparação, a incidência de câncer de mama é de 61,61 casos novos a cada 100 mil mulheres.

Em 2020, no mundo todo, foram diagnosticados 1,4 milhões de novos pacientes com câncer de próstata. Destes, 97 mil foram no Brasil. Isso faz do país o quarto com mais casos, atrás apenas de Estados Unidos, China e Japão. Os números são da Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (IARC), ligada à Organização Mundial da Saúde.

Este resultado supera a estimativa do INCA (Instituto Nacional do Câncer), que previa o surgimento de 65.840 novos casos por ano durante o triênio 2020-2022. São números alarmantes. 

O que você precisa saber sobre o câncer de próstata

A próstata é uma glândula exclusiva do sexo masculino que fica localizada na parte inferior da região do abdômen, na frente do reto e embaixo da bexiga. Ela envolve a parte inicial da uretra e é responsável pela produção do sêmem. 

O seu tamanho varia de acordo com a idade: quanto mais velho o homem, maior costuma ser a próstata.

O câncer de próstata é o tumor que afeta essa glândula quando há o crescimento descontrolado de células nesta região. Os tumores podem ser benignos ou malignos (câncer). 

São fatores de risco para a doença a idade avançada (a maioria dos casos são em homens acima dos 50 anos), genética (histórico familiar direto, pai e irmãos sobretudo), obesidade e aumento da gordura corporal, alimentação pobre em verduras, frutas e legumes, sedentarismo e exposição a certos produtos químicos como aminas aromáticas. 

As chances de cura do câncer de próstata são maiores quando a detecção é precoce. Só que em suas fases iniciais, este tumor costuma ser de evolução bastante silenciosa, sem apresentar sintomas. Por isso, a realização do exame preventivo a partir dos 50 anos é fundamental. 

O diagnóstico é feito por meio do exame físico em consultório (toque retal, o famoso “exame de toque”) e/ou exame laboratorial (dosagem do PSA). Se o médico notar alterações, ele solicita uma biópsia prostática por via transretal ou transperineal para confirmar a presença do tumor e, caso positivo, se ele é benigno ou maligno. 

A escolha do tratamento é individualizada e depende do estágio da doença e das condições do paciente. Ele pode incluir remoção cirúrgica da próstata, radioterapia e terapia hormonal, entre outros. 

Novembro Azul na cama: a relação entre sono e câncer de próstata

A baixa qualidade do sono está associada a diversas consequências para a saúde, então não chega a ser surpresa que ela também aparece entre os fatores de risco e agravantes para o desenvolvimento do câncer.

A interação entre o câncer de próstata é menos conhecida do que aquela com o câncer de mama, mas há uma série de estudos recentes que mostraram que essa relação não apenas existe como é bilateral. 

Mais do que qualquer dificuldade para dormir, a presença de distúrbios do sono é um fator que prediz a aparição de câncer de próstata no futuro. 

Uma investigação em Taiwan, por exemplo, analisou o histórico médico de mais de 80 mil homens. O resultado não poderia ser mais claro. De cada 10 mil pessoas, 9,6 tinham algum distúrbio do sono e foram diagnosticadas com câncer de próstata nos anos seguintes. Daqueles sem distúrbios, a taxa de diagnóstico caiu para 6,4 por 10 mil.

A apneia do sono é um dos distúrbios com maior fator de risco para o câncer de próstata. Também há evidências fortes para a insônia.

Sono também protege contra o câncer de próstata 

Aqui aparece a relação bastante claramente a bilateralidade do sono com a doença à qual é dedicado o Novembro Azul. 

Homens que dormem bem apresentam 75% menos risco de desenvolver casos avançados de câncer de próstata. A conclusão é de um estudo desenvolvido pela Escola de Saúde Pública de Harvard e pela Universidade da Islândia. 

Isso acontece graças às taxas mais altas de melatonina na urina, uma consequência do sono melhor, mais duradouro e com menos despertares durante a noite. Essa foi a primeira vez que uma investigação encontrou um vínculo significativo entre o hormônio do sono e o tumor masculino. 

Apenas essa informação deveria ser suficiente para que todos os homens prestem mais atenção ao seu sono começando por hoje. Que tal aprender mais sobre higiene do sono e já dormir melhor essa noite? 

Boa noite.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email