Quer receber mais conteúdos gratuitos sobre o sono?

CloseIconMenu

11 de fevereiro, 2022

Distúrbios do Ritmo Circadiano

Distúrbios do Ritmo Circadiano

Com mais de 100 distúrbios do sono catalogados, organizá-los para facilitar o diagnóstico e o tratamento era uma necessidade. Daí surgiu a classificação que os separa em seus grupos: Insônias, Hipersonias, Parassonias, Distúrbios Respiratórios do Sono, Distúrbios do Movimento Relacionados ao Sono e Distúrbios do Ritmo Circadiano.

Essa separação usa uma metodologia de categorização baseada em diferentes critérios. Entre eles: 

O Persono é o primeiro travesseiro com tecnologia de monitoramento de sono embutida nas camadas internas
  • Causas
  • Síntomas
  • Psicologia
  • Consequências psicológicas

Hoje, o foco são os distúrbios do ritmo circadiano.

Entendendo o ritmo circadiano

O ritmo circadiano são as mudanças que sofremos e que seguem um ciclo de aproximadamente 24 horas. Essas mudanças são majoritariamente guiadas pela luz e escuridão naturais e afetam a maioria dos seres vivos.

O ritmo circadiano é parte do que é conhecido popularmente como relógio biológico e regula, entre outras funções, o sono. Uma disrupção neste ritmo é o que causa os distúrbios do ritmo circadiano.

O que são Distúrbios do Ritmo Circadiano

Distúrbios do Ritmo Circadiano ou Distúrbios do Sono do Ritmo Circadiano são distúrbios do sono que afetam cerca de 3% da população mundial adulta e envolvem ao menos um problema no timing de quando uma pessoa está acordada ou dormindo

Na maioria dos casos, o problema principal é que o paciente não consegue dormir quando deseja, precisa ou ainda quando se espera isso dele. O resultado disso são episódios de sono em momentos inapropriados

Para explicar o funcionamento desses distúrbios, a Academia Americana de Medicina do sono explica que “o corpo humano tem um relógio circadiano master do cérebro chamado Núcleo supraquiasmático (NSQ) que regula ritmos como a temperatura e os níveis hormonais. O ritmo circadiano primário que é controlado é o ciclo de dormir-despertar, que dura pouco mais de 24 horas”.

Além do gatilho principal, a luz, esse ciclo ainda é influenciado pela alimentação e a prática de exercícios físicos, por exemplo.

Alguma alteração nesse sistema do cérebro, a inabilidade do ritmo circadiano funcionar em períodos de 24 horas ou uma falta de alinhamento entre o relógio biológico e o ambiente da pessoa são o que causa um distúrbio do ritmo circadiano.

Ou seja, esse distúrbio pode ser causado por causas biológicas ou sociais, externas ao paciente. 

Efeitos no corpo humano

Apesar de muitas vezes terem causas e características distintas entre si, os distúrbios do ritmo circadiano têm consequências e efeitos bastante similares na vida das pessoas. São elas:

  • Perda de sono, sem alcançar a quantidade de horas de sono mínimas consideradas adequadas para a faixa etária;
  • Sonolência excessiva, causada por essa falta de sono e/ou falta de alinhamento entre o cronotipo e os horários sociais,
  • Sintomas de insônia, com um distúrbio do sono causando outro;
  • Depressão;
  • Queda de desempenho no trabalho e diminuição da produtividade;
  • Disrupção dos horários sociais
  • Estresse nas relações interpessoais
  • Problemas clínicos significativos relativos à saúde física, mental, social, ocupacional ou educacional. 

É importante ressaltar que os pacientes não necessariamente passarão por todos esses efeitos e consequências dos distúrbios do ritmo circadiano. Em nenhum caso o critério diagnóstico exige todos eles. 

Quais são os Distúrbios do Ritmo Circadiano

Abaixo, os distúrbios do ritmo circadiano como classificados pelo ICSD (International classification of sleep disorders).

Síndrome da Mudança de Fuso Horário (Jet Lag)

Talvez você não saiba, mas em alguns casos o jet lag pode sim ser considerado um distúrbio do sono. Um distúrbio do sono temporário, é verdade, mas ainda assim um distúrbio do sono.

A característica principal do jet lag é a dificuldade de iniciar ou manter o sono, sonolência excessiva e diminuição do alerta diurno. Ainda podem aparecer outros sintomas somáticos, a maioria ligada ao trato gastrointestinal. Tudo isso acontece quando existe uma troca rápida de zona horária.

Dependendo da quantidade de meridianos cruzados, os sintomas podem demorar até duas semanas para ir embora. Quanto mais meridianos cruzados, mais fortes e persistentes são os sintomas. 

Viagens rumo ao leste, para lugares com fusos horários mais avançados, também costumam intensificar sintomas. 

Por isso, sempre que for viajar, comece a se preparar alguns dias antes para minimizar os efeitos dessa mudança de fuso. A prática de higiene do sono e a exposição à luz natural no destino também ajudam a regular novamente o ritmo circadiano à sua nova realidade.  

Síndrome da Má-Adaptação ao Trabalho em Turnos

Esse distúrbio aparece em 10 a 40% das pessoas cuja jornada laboral ocorre em horários inconsistentes, impedindo a regularidade do sono. Esse horário de trabalho pode ou não ser noturno.

A principal reclamação de sono geralmente consiste na incapacidade de se manter uma duração de sono normal.

A sonolência é comum e até esperada nessas pessoas, aumentando o risco de acidentes de trabalho e durante o deslocamento.

Esse distúrbio do ritmo circadiano é especialmente perigoso para pessoas com comorbidades devido ao fato de que ele favorece o desenvolvimento de úlceras (ou outros problemas relacionados ao estresse) e de automedicação como tentativa de dormir.  

Fase atrasada do sono

Associada a pessoas de cronotipo vespertino e vespertino extremo, a Fase Atrasada do Sono acontece quando uma pessoa regularmente dorme e acorda muito depois do horário convencional, tendo grandes dificuldades de se adaptar a rotinas e eventos matutinos. 

Se a pessoa com esse distúrbio tem a liberdade de dormir e acordar naturalmente, não costuma apresentar problemas, que aparecem quando ela precisa se adaptar aos horários “sociais”. 

Além de todos os problemas de saúde causados pelas poucas horas de sono, a fase atrasada do sono também aparece associada ao absenteísmo.

A prevalência na população geral é desconhecida, mas sabe-se que em adolescentes, que têm um atraso natural na curva da melatonina, ela pode chegar a 16%. Casos na família aumentam a chance de desenvolver fase atrasada do sono para 40%.  

Fase avançada do sono

É o oposto da fase atrasada do sono. A fase avançada do sono atinge especialmente pessoas de cronotipo matutino extremo e matutino, que dormem e acordam muito antes das horas médias da população, o que faz com que elas tenham muita sonolência no início da noite e dificuldades durante compromissos noturnos. 

Se a pessoa com esse distúrbio dorme e acorda em seus horários naturais, ela não costuma apresentar problemas, que aparecem quando com a necessidade de adaptação aos horários “sociais”. 

Esse distúrbio atinge cerca de 1% da população de meia-idade e idade avançada.

Transtorno do ciclo sono-vigília diferente de 24h

Pacientes com esse distúrbio têm um ciclo de vigília-sono que não corresponde às 24 horas como o restante das pessoas, o que faz com que os períodos de sono estejam em constante mudança e alternância.

Quando esse ciclo entra em discordância com os compromissos sociais dessa pessoa é quando os sintomas são mais severos. Já quando o ciclo está de acordo, ela pode não apresentar nenhum problema para dormir e nem sonolência.

O transtorno do ciclo sono-vigília diferente de 24h está majoritariamente associado com pessoas totalmente cegas, cujos olhos não recebem os gatilhos de luz e escuridão, essenciais para a regulação do ritmo circadiano. As estimativas apontam que 70% dos cegos sofrem com o transtorno do ciclo sono-vigília diferente de 24h.

Tratamentos para os Distúrbios do Ritmo Circadiano

Os tratamentos para os distúrbios do ritmo circadiano dependem do distúrbio em si e das particularidades de cada pessoa. Apenas um médico ou profissional da saúde pode determinar o tratamento mais adequado.

Para pacientes com fase atrasada do sono ou fase avançada do sono, uma das alternativas terapêuticas é a cronoterapia, que trabalha lentamente para ajustar o ritmo circadiano de uma pessoa. A fototerapia, usada em tratamentos de insônia, também é uma opção.

A administração de melatonina também pode aparecer nos tratamentos para os distúrbios do ritmo circadiano, assim como a recomendação de uma mudança de estilo de vida (alimentação e práticas esportivas) e de higiene do sono.

Boa noite!

Compartilhar artigo

Descubra mais conteúdo sobre:

Leia também

Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email