O que acontece com o seu corpo durante o sono

21 de julho, 2021

O que acontece com o seu corpo durante o sono

Você pode dizer que é do tipo de pessoa que não se mexe enquanto dorme e isso pode até ser verdade (só seu companheiro de cama ou uma polissonografia podem atestar esse fato), mas por mais “estátua” que você seja, enquanto está na cama o seu organismo está tudo menos parado. Apesar de ser a hora de descanso, o corpo durante o sono não para. Muito pelo contrário.

É verdade que ele desacelera e tem os movimentos restritos, mas parar mesmo ele não para.

As atividades do corpo durante o sono

Será que você já conhecia todas elas? A gente aposta que não.

Movimentos do globo ocular

Isso acontece especificamente no Sono REM, a quarta (e última) fase do ciclo do sono. REM vem do inglês “rapid eye movement” ou “movimento rápido dos olhos”.

O Sono REM é caracterizado pela presença de sonhos mais vívidos, respiração errática e irregular e aceleração da atividade cerebral. Por outro lado, acontece a chamada atonia, que é uma paralisação temporária dos músculos. Permanecem funcionando apenas a musculatura respiratória e a dos olhos. 

A duração do Sono REM varia ao longo da noite. Nos primeiros ciclos, ele pode durar apenas 10 minutos e depois chegar a até uma hora nos últimos. 

Desaceleração dos batimentos cardíacos e diminuição da pressão arterial

Quem já fez exames de Mapa e Holter já entendeu na prática que essa tranquilidade cardíaca acontece (ou, pelo menos, deveria acontecer).

A diminuição da pressão arterial e dos batimentos cardíacos acontece nas três primeiras fases do sono (N1, N2 e N3) e serve para que o coração se recupere do estresse passado durante o dia, quando ele está sempre “em alerta”.

Reforço na imunidade

Guarde essa informação: pessoas que dormem pouco têm quatro vezes mais chances de pegar um resfriado comum. 

“Não importam a idade, níveis de estresse, origem, educação ou situação financeira. Também não importa se é fumante. O sono curto é mais importante que quaisquer outros fatores para prever a susceptibilidade de uma pessoa a pegar um resfriado”, explica o professor Aric Prather, da Universidade da Califórnia São Francisco, que liderou o estudo que chegou ao dado acima.

Durante o sono são produzidas substâncias como anticorpos e citocinas, fundamentais na proteção contra infecções por vírus e bactérias. O nível de citocinas aumenta durante a noite, portanto dormir mal tem relação direta com a nossa capacidade de combatê-las. 

Revitalização da pele

Não somos cobras que passam pelo processo radical de trocar de pele, mas passamos por uma revitalização dela durante o sono. O exemplo mais evidente disso são as olheiras: a parte inferior dos olhos vai ficando escura e flácida porque não há uma troca de células adequada quando não se dorme bem.

A “cara de sono” ou “cara de cansaço” depois de uma noite mal dormida é real. 

Existe ainda uma ligação direta entre desajustes no ritmo circadiano e a sintetização do colágeno, proteína responsável pela resistência, coesão e elasticidade de pele e de outros tecidos. 

+ Leia mais: Uma boa noite de sono é o melhor skincare

Ficamos mais altos

Neste caso não estamos falando do mito do sono que as crianças crescem apenas enquanto dormem, isso não é verdade. Mas, de fato, ficamos mais altos enquanto dormimos e isso acontece graças à formação da coluna vertebral e à força da gravidade. 

Assim que acordamos, os discos que separam as vértebras estão bem posicionados. Ao longo do dia eles vão desidratando, o que faz com que as vértebras fiquem mais próximas umas das outras, e, consequentemente, as costas ficam mais curtas. Além disso, com o passar das horas, a musculatura também vai tensionando, o que favorece o “esmagamento” dos discos gelatinosos. 

Por isso vamos dormir mais baixos do que acordamos, uma diferença que pode chegar a dois centímetros para algumas pessoas. Não é que você cresce durante a noite, mas sim que você “encurta” durante o dia. 

Diminuição da temperatura corporal

Essa é uma mudança que, na verdade, começa antes mesmo da transição entre a vigília e o sono. Algum tempo antes de você abraçar Morfeu, o seu corpo já começa a perder calor na preparação para o descanso. Por isso mesmo dormir no verão pode ser um desafio grande.

De acordo com a Universidade de Harvard, uma das hipóteses do porquê perdemos calor é a conservação de energia.

Quando vamos nos aproximando da hora de acordar, o corpo recupera calor em preparação para o dia.

Regularização da respiração

Essa é mais uma mudança no corpo durante o sono que não vale tanto assim para o sono REM. 

Nos três primeiros estágios do ciclo do sono, nossa frequência respiratória diminui e fica mais regular se comparada ao dia, quando ela é afetada pela fala, emoções, exercícios e até mesmo a postura. 

Já durante a fase REM, o padrão respiratório volta a ser mais agitado, com mais variações.

Liberação de gases

Essa não é exatamente a mais agradável das ações do corpo durante o sono, mas acontece com todo mundo, de mim e você até a Rainha da Inglaterra.

O relaxamento muscular noturno acaba relaxando também o esfíncter o suficiente para que você solte gases sem sequer perceber. Nem você e nem seu parceiro, já que enquanto dormimos o sentido do olfato é drasticamente reduzido (o barulho, no entanto, pode sim te despertar caso te “pegue” em uma fase mais leve do sono). 

Apesar de acontecer com todo mundo aqui vão algumas dicas que podem reduzir o acúmulo de gases: evitar bebidas carbonatadas (como refrigerantes), chicletes, substitutos de açúcar (como xilitol) e consumir quaisquer bebidas com canudo.

Assim como acontece com o cérebro, o corpo durante o sono cumpre várias funções. Dormir é muito mais do que simplesmente descansar. Acompanhando o Persono você vai conhecer todos os pormenores da sua hora de dormir. Boa noite!

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email