Maio Amarelo: dirigir com sono causa mais acidentes que o álcool

05 de maio, 2021

Maio Amarelo: dirigir com sono causa mais acidentes que o álcool

“Respeito e Responsabilidade: pratique no trânsito”. Esse é o tema do Maio Amarelo 2021, o mês de conscientização sobre as nossas atitudes no trânsito. E ele tem tudo a ver com o sono. 

Uma pesquisa de 2019 feita pela ABRAMET (Associação Brasileira de Medicina de Tráfego) em parceria com o CRM e a Academia Brasileira de Neurologia indicou que 42% dos acidentes nas ruas e estradas do país são causados pelo sono. Outros 18% são resultado da fadiga excessiva.

Ou seja, dirigir com sono ou cansaço é responsável por 60% dos acidentes de trânsito no Brasil, superando os dados relativos ao consumo de álcool e drogas. Os números, porém, podem ser ainda maiores, já que em muitos casos a detecção do sono como causa do acidente pode ser difícil. 

O que é o Maio Amarelo?

O Maio Amarelo surgiu como uma maneira de chamar a atenção da sociedade no mundo todo para os alarmantes índices de acidentes de trânsito. Por esse motivo, e assim como acontece com o Dia Mundial do Sono, a cada ano um tema diferente é escolhido para simbolizar a campanha.

A movimentação em torno deste assunto começou quando a ONU promulgou a década de 2011 a 2020 como a Década de Ação pela Segurança no Trânsito. Isso deu impulso para o surgimento do Movimento Maio Amarelo, que desde  2014 promove ações de conscientização em centenas de cidades de todo o país.

No final de 2020, a Organização das Nações Unidas reforçou o seu compromisso com o tema ao anunciar a Segunda Década de Ação pela Segurança no Trânsito, que vai se estender até 2030. Dessa vez, o objetivo é reduzir em pelo menos 50% o número de mortes e lesões causadas por veículos automotores. 

Por que dirigir com sono é tão perigoso

Você já ouviu por aí alguém falando que estava “bêbado de sono”? Então, ela é mais do que apenas uma expressão do dia a dia. De fato a sonolência deixa no sono a mesma sensação de uma bebedeira, com prejuízos ao equilíbrio, atenção e funções cognitivas. 

Aliás, o sono pode chegar a ser até mais prejudicial do que o álcool. O autor do livro Eat, Move, Sleep, Tom Rath, compara quatro horas de sono perdido ao consumo de seis latas de cerveja

De fato, um estudo da Universidade de Dundee, na Escócia, concluiu que a privação do sono deixa o tempo de reação mais alto e reduz o controle lateral do veículo com mais impacto do que 25 microgramas de álcool. 

O consumo de café não ajudou a melhorar os resultados, pelo contrário: eles pioraram.

Em resumo: não é que dormir mal e dirigir é “tão ruim quanto” beber e dirigir. Dirigir com sono é pior do que beber e dirigir.

Fatores de risco de dirigir com sono

Os efeitos do sono na direção também têm risco maior para alguns  grupos. Por exemplo, no estudo escocês citado anteriormente, ficou constatado que a direção das mulheres foi menos prejudicada pela privação do sono que a dos homens.

Isso não quer dizer que elas estejam imunes aos efeitos ao dirigir com sono. Ninguém deve dirigir com sono. Isso coloca em risco o motorista, os passageiros e as demais pessoas na estrada.

De acordo com a americana National Sleep Foundation, os grupos que que têm mais riscos de cair do sono ao volante são:

  • Motoristas jovens, sobretudo homens entre até os 25 anos. Isso é resultado da combinação da inexperiência dirigindo, a tendência a pegar o carro à noite e do sono irregular.
  • Trabalhadores por turnos, seja aqueles que trabalham longas horas seguidas (como médicos ou bombeiros), os que trabalham à noite ou os que não têm turnos em horas fixas.
  • Motoristas comerciais, sobretudo aqueles que dirigem longas distâncias na estrada e de noite.
  • Pessoas com distúrbios do sono sem tratamento. Por exemplo, a apneia obstrutiva do sono aumenta em sete vezes o risco de bater o carro por culpa da sonolência. 
  • Pessoas que viajam muito e cruzam fusos horários com frequência, apresentando sinais de jetlag costumam apresentar mais sonolência e desajuste do sono.

Ainda há outros fatores que aumentam o risco de de dirigir com sono:

  • Privação do sono, que aumenta a possibilidade de episódios de microssono e outras ações perigosas ao volante.
  • Uso de certos medicamentos como antialérgicos, relaxantes musculares e alguns suplementos, entre outros, que induzem o sono. 
  • Hora do dia, nos picos da sonolência: da meia-noite às seis da manhã e no meio da tarde.
  • Motoristas sozinhos no carro, que não têm outras pessoas no carro que os ajudem a ficar alertas.

Os sinais de que você está com sono demais para dirigir

50% dos americanos admitem que já dirigiram com sono. Vale a pena repetir o dado: metade da população americana já pegou o volante (ou guidão) sem ter todos os seus reflexos em plenas condições.

É assustador.

O Persono preparou um teste para você saber se está preparado para pegar no volante ou se está com sono demais para dirigir. Para acessar o teste, clique no banner abaixo

Teste: você está com sono demais para dirigir?

Descanse adequadamente antes de entrar no carro ou subir na moto. Você precisa de todas as suas funções cognitivas, reflexo e alerta para uma direção segura. Descanse.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email