Afinal, o que significa dormir bem?

06 de janeiro, 2021

Afinal, o que significa dormir bem?

Se você chegou hoje ao Insights do Persono ou se nos segue faz tempo, se já leu vários textos por aqui ou se está apenas começando a entender mais sobre o processo de dormir, você com certeza já cruzou com a expressão “dormir bem”. Mas, afinal, o que significa exatamente “dormir bem”?

Uma resposta taxativa sobre um sono de qualidade é complexa, porque depende de características biológicas e ambientais muito específicas de cada pessoa, tais como gênero, idade, atividades físicas e mentais ao longo do dia e cronotipo, entre outras.

O brasileiro acha que dorme bem, mas a realidade é outra

A pesquisa Acorda, Brasil!, desenvolvida a pedido do Persono, conduzida pela plataforma de human analytics da MindMiners – empresa de tecnologia e coordenada pela consultoria Unimark/Longo, mostra um dado curioso e alarmante. 

62% dos brasileiros afirmam dormir bem, mas não conseguem sustentar essa resposta com evidências claras ou explicar o porquê dessa resposta. Ou seja, no país existe uma falsa percepção sobre a qualidade do próprio sono.

+ Leia Mais: Baixe a versão completa da pesquisa Acorda, Brasil!

E quando falamos em “evidências claras”, não se tratam de resultados de exames como a polissonografia ou actigrafia. Por exemplo, dentre as pessoas que declaram dormir bem, 58,7% afirmam que acordam cansadas. Quase 20% delas também dormem menos de 6 horas, um sono considerado insuficiente na faixa etária adulta.

O cruzamento dos dados evidencia que 25% dos brasileiros que declaram dormir bem têm uma noção equivocada sobre o assunto. Preocupante. 

Mas então como eu sei se estou dormindo bem?

Pode ficar tranquilo que você já vai entender. Apesar de uma ausência de definição concreta, existem fatores que apontam para uma boa noite de sono. Um estudo liderado por Maurice Ohayon, então diretor do Stanford Sleep Epidemiology Research Center, revisou mais de 200 publicações e chegou aos quatro critérios do dormir bem. São eles:

  • Você leva no máximo meia hora para cair no sono;
  • Você acorda não mais do que uma vez por noite;
  • Se você acordar no meio da madrugada, consegue voltar a dormir em até 20 minutos;
  • Você está dormindo 85% do tempo que passa na cama.

Ohayon ainda explicou que esses critérios representam uma evolução na ciência do sono, que “antes era definido por seus resultados negativos, incluindo a insatisfação com ele. Claramente essa não é mais a história”. 

Com as tecnologias mais atuais é também possível metrificar com precisão esses critérios. São os monitores de sono caseiros, os sleep trackers, que em alguns casos apresentam resultados tão precisos quanto os de uma actigrafia, um exame do sono com validade médica.

A vantagem desse monitoramento do sono feito em casa é a continuidade, ou seja, a análise a longo prazo que pode ser compartilhada com profissionais de saúde. Em muitos casos, esses dados diários são essenciais para um diagnóstico.

O quesito conforto também é importante. Alguns monitores de sono usam tecnologias touchless ou frictionless, que é quando você não fica em contato direto com o aparelho, podendo dormir confortavelmente sem nem sequer perceber que está sendo monitorado. 

O Travesseiro Persono funciona exatamente assim: o sensor Persono Sense é embutido nas camadas internas do travesseiro e fica imperceptível abaixo da sua cabeça. Pela manhã, basta enviar os dados para o Aplicativo Persono usando o Bluetooth do seu celular.

O travesseiro Persono é usado para monitorar o sono e é recomendado pelos atletas do Time Brasil e pelo COB - Comitê Olímpico Brasileiro

Outros sinais do sono de qualidade

Ainda há outros sinais de alerta para a qualidade do sono, como aponta a Sleep Foundation. Confira abaixo:

Além das quatro afirmações do estudo de Stanford, há outros sinais de alerta para a qualidade do sono, como aponta a Sleep Foundation. Confira abaixo:

  • Dificuldade para despertar
  • Cansaço logo ao acordar
  • Sensação cansada e sonolência diurna
  • Queda de performance e foco na escola, trabalho ou esportes
  • Necessidade de cafeína para se manter desperto
  • Sono pouco restaurador

Se você se sentiu identificado com pelo menos uma das frases acima, é preciso mudar os hábitos de sono ou até mesmo buscar um médico.

Dicas para dormir bem à noite

Aqui no Insights e nas redes sociais do Persono (Instagram e YouTube) você encontra uma série de conteúdos desenvolvidos para você ter um descanso melhor pela noite, como os cuidados com a alimentação e informações sobre insônia

Mas aqui vão algumas dicas fáceis para começar a usar já hoje:

  • Tenha um quarto propício para o sono, escuro e silencioso. Evite estímulos visuais como luzes de standby de televisores.
  • Relaxe: o corpo precisa descansar para dormir. Encerre as atividades mais estimulantes de duas a três horas antes de ir para a cama. 
  • Evite tomar café depois do almoço. A meia-vida da cafeína é de até 8 horas, o que significa que depois desse tempo, metade dela continua agindo no seu corpo.
  • Horário regular para dormir e acordar é essencial. Busque manter a rotina mesmo em férias, feriados e fins de semana.

Bons sonhos! E continue atento aos conteúdos do Persono para todas as informações para dormir melhor.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email