Como a tecnologia pode te fazer dormir melhor

10 de maio, 2021

Como a tecnologia pode te fazer dormir melhor

É lugar comum apontar os avanços tecnológicos como os grandes vilões do nosso sono. Desde a Revolução Industrial e a invenção da luz elétrica, nossa forma de dormir mudou completamente graças a essa nova capacidade de simular a iluminação natural e enganar o nosso ritmo circadiano (por mais que naquela época ele ainda não tivesse esse nome). Mas a tecnologia não parou por aí.

Aqui mesmo no Blog do Persono já falamos diversas vezes sobre isso. É aparelho eletrônico que inibe a produção de melatonina, luz vinda de todos os lados, calor não compensado… 

Mas… vilã? Talvez, esse papel seja um exagero. Como (quase) tudo na vida, o problema está apenas no exagero e no uso equivocado. Se bem usada, a tecnologia pode até mesmo te ajudar a dormir melhor.

O futuro do sono está na tecnologia e na saúde

A presença da tecnologia para o sono já é uma realidade e está aí o mercado que não nos deixa mentir. A venda de smartwatches, por exemplo, deve chegar a 3,33 bilhões de dólares em 2022. Em 2016, esse valor não passava de 2,49 mi. 

E esse é apenas um exemplo de tecnologia aplicada ao sono de um jeito positivo.  Erroneamente, costumamos associar “tecnologia” a aparelhos eletrônicos de última geração, luzes e disrupções forçadas do ciclo natural do corpo. Não é bem isso.

Podem ser tecnológicos tecidos, colchões, estruturas e, porque não, aparelhos eletrônicos que sim, ajudam você a dormir melhor.

Conheça abaixo algumas opções de tecnologia que, de fato, melhoram o sono

Tecidos Tecnológicos

Para desmistificar que a tecnologia está ligada somente aos eletrônicos, nada melhor do que falar dos tecidos tecnológicos, que ajudam você a manter um sono de mais qualidade.

Essa é, por exemplo, a aposta do super campeão do futebol americano Tom Brady. Em parceria com a fabricante Under Armour, ele criou uma coleção de pijamas pensados especialmente para a recuperação muscular e melhorar a qualidade do sono

Os pijamas inteligentes do atleta, e que estão à venda ao público, usam um tecido com partículas biocerâmicas para refletir de volta para o corpo as ondas infravermelhas que são emitidas durante o sono. De acordo com a fabricante, isso ajuda a dormir melhor e acelera a restauração muscular posterior às atividades físicas. 

Um estudo independente do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos mostrou que o uso do infravermelho distante tem efeitos biológicos significativos, podendo ser aplicado em bandagens e roupas usadas por pessoas que estejam se recuperando de lesões. Em outras palavras: a tecnologia funciona.

Mas você não precisa ser um atleta da elite mundial para usar a tecnologia têxtil para favorecer o seu sono. Ao escolher a roupa de cama e os pijamas, procure sempre optar pelos tecidos naturais, sobretudo nos dias mais quentes. Eles permitem que o seu corpo respire melhor e evitam que você seja acordado pelo calor.

Ruídos brancos e ruídos rosas

Você conhece alguém que diz que “adora dormir com o barulho da chuva”? É bem possível que você faça parte desse grupo nada pequeno. Isso quer dizer que você já faz uso do chamado ruído branco sem sequer saber disso. Sim, assim como a luz, o barulho também pode ajudar no sono, desde que bem usado.

O ruído branco consiste de frequências sonoras baixas, médias e altas tocadas juntas na mesma intensidade e, assim, conseguindo mascarar efetivamente outros sons externos. A relação entre essas frequências e amplitude das ondas sonoras são usadas para definir a coloração dos barulhos, que compartilham propriedades estruturais com as ondas de luz de mesmo nome.

O uso desse tipo de som ajuda no relaxamento, na transição e na manutenção do sono, inclusive no caso de pessoas sob grande estresse, como aqueles internados em hospitais.

Mas o que esse tipo de ruído tem a ver com tecnologia? Simples: eles podem ser produzidos artificialmente, ou seja, você não precisa esperar um dia de tempestade para aproveitar os seus benefícios. Existem à venda diferentes opções de máquinas que geram ruído branco para o seu quarto. Elas são especialmente recomendadas para pessoas que vivem em locais muito barulhentos ou quem não consegue dormir no silêncio total. 

Na falta de um aparelho de ruído branco, há aplicativos de celular que reproduzem o mesmo efeito. Você pode optar também por um ventilador virado para a parede.

Em tempo: tecnicamente a chuva não é considerada um tipo de ruído branco, mas sim ruído rosa por ter frequências altas reduzidas, o que fazem deles mais agradáveis para muitas pessoas. Os efeitos de ambos no sono são similares, com estudos indicando até mesmo algumas vantagens para o ruído rosa.

Meditação Guiada

A meditação guiada já não é considerada pela medicina do sono um “misticismo” ou placebo. E não é de agora.

Publicado em 2013, o III Consenso Brasileiro de Insônia das ABS – Associação Brasileira do Sono dedica espaço às “medidas orientais alternativas” como opções complementares no tratamento de casos crônicos de insônia dentro do capítulo de terapias não farmacológicas.

Exercícios de meditação, mindfulness e meditação guiada também são úteis para as pessoas que não apresentam nenhum distúrbio do sono e que apenas queiram melhorar a qualidade das suas noites. Tudo isso está ao alcance das suas mãos, aí mesmo no seu celular.

No mês de abril, o Persono lançou no nosso canal no YouTube uma playlist com áudios de meditação guiada com diferentes objetivos, desde auxiliar na transição do sono até diminuir sintomas de ansiedade. Aperte o play e relaxe!

Monitoramento do Sono

Já é passado o tempo em que você precisava ir a um hospital e se conectar a dezenas de cabos em uma polissonografia para saber como anda o seu sono. Nem sequer é necessário levar pra casa um aparelho de actigrafia.

Claro que esses equipamentos médicos são capazes de ir além, mas hoje qualquer um pode saber se está dormindo bem ou não graças à infinidade de equipamentos de monitoramento do sono que existem no mercado. São os sleep trackers, quase sempre conectados a um smartwatch capaz de controlar também atividades físicas.

É verdade que dormir de relógio não é a situação mais cômoda do mundo, mas é por isso que já existem outras tecnologias menos invasivas e com o mesmo resultado. O futuro do sono é o monitoramento sem contato, frictionless.

O resultado de estudos sobre a eficiência desses monitores do sono “caseiros” é bastante positivo.

Playlists no Spotify

Já falamos por aqui sobre meditação guiada, relaxamento e ruídos brancos. Muitos desses conteúdos também podem ser acessados por um serviço que já atinge mais de 320 milhões de pessoas no mundo todo: o Spotify.

Na plataforma, você encontra podcasts com técnicas de mindfulness e meditação, música relaxante e até mesmo réplicas de sons naturais como chuva, vento ou mar, que permitem que você crie um ambiente relaxante similar àqueles com máquinas de ruído branco. 

Conteúdos similares podem ser encontrados em outras plataformas de streaming como Deezer e Apple Music.

Dica: alguns smartphones têm integração direta do alarme com o Spotify, permitindo que você escolha uma música ou uma playlist para tocar na hora de acordar. Um estudo de 2020 notou que o despertar é melhor quando o barulho irritante do relógio é substituído por música.

Boa noite. Com tecnologia.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email