Quer receber mais conteúdos gratuitos sobre o sono?

CloseIconMenu

30 de maio, 2022

Tratamentos para apneia do sono: outras opções além do CPAP

Tratamentos para apneia do sono: outras opções além do CPAP

A apneia do sono é um dos distúrbios do sono mais comuns e muito subdiagnosticada. Cerca de 80 a 95% das pessoas que sofrem com apneia não sabem disso, de acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Existem diversos tratamentos para apneia. 

O CPAP, um aparelho para ajudar na respiração durante o sono, geralmente é a primeira linha de tratamento após o diagnóstico de apneia. Essa solução existe há aproximadamente 40 anos e seus resultados já são perceptíveis na primeira noite.

Mas se ele é tão bom, por que os médicos indicariam outro tratamento? Essa deve ser a pergunta na sua cabeça agora. Geralmente o CPAP não é indicado para alguns casos. Pessoas com claustrofobia, por exemplo, podem se sentir desconfortáveis com uma parte do rosto tampada. O médico especialista é quem vai avaliar e sugerir o tratamento mais indicado para cada caso.

Antes de listarmos quais são as outras alternativas para tratar a apneia do sono, é preciso lembrar que existem dois tipos desse distúrbio. É importante diferenciá-los porque existem tratamentos mais indicados para um tipo de apneia do que para a outra.

Apneia Obstrutiva do Sono e Apneia Central do Sono

A Apneia Obstrutiva do Sono é a mais comum das duas. Quem sofre da AOS passa por episódios repetitivos de obstrução das vias aéreas superiores durante o sono. Ela normalmente está associada a uma redução da saturação de oxigênio no sangue. 

A obstrução acontece por causa de um relaxamento dos músculos da região da garganta, o que bloqueia temporariamente a região, fazendo com que uma quantidade menor de ar chegue aos pulmões. Em alguns casos isso acontece muitas vezes por noite, podendo provocar engasgos, ruídos de sufocamento, roncos e pequenos despertares. O sono da pessoa acaba sendo de baixíssima qualidade.

Já a Apneia Central do Sono é menos comum. Ela é causadora de cerca de 10% dos casos de distúrbios respiratórios. Diferente da AOS, na apneia central do sono, o cérebro não se comunica com os músculos respiratórios mandando os sinais adequados, mas se envia, os músculos deixam de responder a estes estímulos

Quando as duas apneias ocorrem juntas – sim, isso pode ocorrer –  acontece um efeito chamado de apneia mista.

+ Leia Mais: Apneia do sono: quais suas consequências?

Tratamentos para Apneia do Sono

As opções de tratamento para a apneia do sono podem ser mudanças no estilo de vida (como parar de fumar e evitar bebidas alcoólicas), tratamentos com aparelhos sem a necessidade de cirurgia ou procedimentos cirúrgicos. 

Vamos passar pelos dois primeiros grupos de tratamento: estilo de vida e uso de aparelhos. 

Mudanças nos hábitos

Alguns cuidados com a saúde ou alterações nos hábitos podem ajudar a amenizar os sintomas da Apneia Obstrutiva do Sono (AOS), entre eles:

Mudar a posição de dormir – dormir de barriga para cima está associado ao agravamento de sintomas da AOS. Para quem costuma passar a noite ou boa parte dela nessa posição, o recomendado é uma terapia posicional que ajude a pessoa a dormir em outra posição.

Existem também travesseiros ou protetores de cama que ajudam a pessoa a não se virar durante a noite, resolvendo assim o problema.

Movimentar a gargantaparticipantes de um estudo feito por pesquisadores indianos sentiram melhoras nos sintomas de AOS após 3 meses praticando regularmente exercícios de movimentos repetitivos da língua, palato mole e garganta.

Evitar álcool, algumas medicações e parar de fumar – que álcool e cigarro fazem mal, a gente já sabe. Para quem sofre de apneia, fazer uso desses produtos é ainda pior. 

Bebidas alcoólicas e medicamentos sedativos devem ser evitados perto da hora de dormir por pessoas com apneia obstrutiva do sono. O álcool pode acabar aumentando os sintomas do distúrbio ao causar o relaxamento dos músculos associados às vias aéreas causando bloqueios. Já o hábito de fumar aumenta as chances de uma pessoa ter AOS.

Perder peso – algumas pesquisas mostram que a perda de peso pode levar a uma melhora dos sintomas de AOS e, por isso, os médicos podem recomendar dietas ou exercícios.

Outros aparelhos PAP

Além do CPAP existem outras máquinas PAP. Esta sigla significa em inglês Continuous Positive Airway Pressure ou Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas em português.  

Assim como a CPAP, as outras máquinas PAP fazem uso de um tubo e uma máscara ligados ao paciente, exceto a EPAP (explicamos a diferença abaixo). 

O que difere uma máquina da outra são seus padrões de funcionamento. A CPAP, por exemplo, gera um fluxo de ar pressurizado que é purificado diretamente na boca e/ou nariz da pessoa. A pressão de ar aplicada varia dependendo do paciente.

APAP – já a Pressão Positiva Automática nas Vias Aéreas funciona ajustando automaticamente a pressão do ar que libera. Ela consegue fazer isso porque usa um algoritmo de computador para calcular a pressão que a pessoa precisa. 

BiPAP – a máquina de Pressão Positiva nas Vias Aéreas de Dois Níveis libera ar a uma pressão mais alta durante a inspiração e mais baixa na expiração.

EPAP – das opções de tratamento PAP, esta é diferente pois consiste em duas válvulas pequenas que se encaixam dentro das narinas. A pressão que o tratamento de Pressão Positiva Expiratória nas Vias Aéreas faz ajuda a criar resistência mantendo as vias aéreas expandidas quando uma pessoa expira.

Servoventilação adaptativa – apesar do nome diferente, esse tratamento funciona de forma semelhante às máquinas PAP, mas é indicado para pessoas que sofrem de Apneia Central do Sono. A máquina funciona liberando pressão de ar que se adapta em tempo real.

+ Leia Mais: As perigosas consequências no cérebro das pessoas com apneia do sono

Tratamentos para apneia com aparelhos bucais

O tratamento com aparelhos bucais impede que a mandíbula se desloque durante o sono, facilitando a passagem de ar. Eles são soluções geralmente indicadas para quem não se adapta ao tratamento com as máquinas PAP. Depois do CPAP, os aparelhos bucais são o segundo tipo de tratamento mais comum.

Talas de avanço mandibular – ao se encaixar tanto nos dentes superiores quanto inferiores, esse aparelho odontológico mantém o maxilar inferior e a língua puxados para a frente. Essa posição da boca faz com que aumente as chances das vias aéreas permanecerem abertas. 

Aparelhos para reter a língua – semelhante a uma grande chupeta, esse aparelho tem um orifício para encaixar a língua. Ele mantém as vias aéreas desobstruídas e a língua posicionada para frente usando sucção.

Ter noites mal dormidas pode causar diversos problemas, então é importante tratar a apneia para que ela não interfira na qualidade do sono. Opções de tratamento não faltam. Converse com seu médico para que ele possa indicar a ideal para você.

Boa noite!

Compartilhar artigo

Descubra mais conteúdo sobre:

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email