Quer receber mais conteúdos gratuitos sobre o sono?

CloseIconMenu

03 de agosto, 2022

Polução noturna: por que atingimos o orgasmo dormindo?

Polução noturna: por que atingimos o orgasmo dormindo?

Aqui no Persono a gente já sabe que o sono gera diversos benefícios para o corpo e para a saúde. Dormir faz bem para o coração, pode ajudar na prevenção de diferentes tipos de câncer, reduz diferentes tipos de inflamação, reduz o risco de diabetes… Isso só para citar alguns exemplos. Mas o sono também causa alguns fenômenos inusitados, como a polução noturna, os famosos “sonhos molhados” ou ejaculação noturna.

Como essa ação do corpo é muito comum na fase da adolescência e muito associada aos garotos, é normal que apareçam muitas dúvidas entre os jovens sobre o assunto. Só que a polução noturna não se limita apenas aos rapazes na fase da puberdade. Todos os gêneros podem ter “sonhos molhados” e existe a possibilidade de ocorrerem na fase adulta. Nesse post vamos explicar sobre o assunto. 

O que é polução noturna?

A polução noturna nada mais é do que a liberação involuntária de esperma durante o sono, no caso dos homens, e a liberação de lubrificação vaginal, no caso das mulheres. Importante: esse fenômeno é um processo perfeitamente normal do corpo.

Os episódios de polução noturna são mais comuns na adolescência por conta das mudanças hormonais típicas da fase. Nos meninos, esse processo sempre causa ejaculação. Já com as garotas, elas não necessariamente atingem o orgasmo. 

Por que a polução noturna acontece?

A polução noturna acontece durante o sono REM, a última das quatro fases do sono. É característico dessa fase a aceleração da respiração e dos batimentos cardíacos. Isso faz com que aumente o fluxo sanguíneo por todo o corpo, incluindo os órgãos genitais, que ficam sensíveis a qualquer estímulo. 

É durante o sono REM que também acontece o aceleramento da atividade cerebral, que vinha diminuindo de ritmo nas fases anteriores. E é nesse momento que temos os sonhos mais vívidos, justamente por conta do aumento da atividade no cérebro. 

Os episódios de polução noturna podem acontecer como resultado de sonhos eróticos que eventualmente ocorrem na fase REM. Existe a possibilidade desse fenômeno ocorrer sem os sonhos.

Um estudo feito pela Academia Americana do Sono identificou que em média 8% dos sonhos têm conteúdo sexual. Homens e mulheres relataram ter tido orgasmos em cerca de 4% de seus sonhos eróticos.

Dúvidas sobre os sonhos molhados

Falar sobre sexo ainda é um tabu entre os adolescentes, o grupo que mais tem episódios de polução noturna. Pesquisa da Sociedade Brasileira de Urologia feita com jovens entre 12 e 18 anos mostrou que apenas 30% disseram que falam com frequência com os familiares sobre o assunto. 

Para 50% deles, o ambiente escolar também é desconfortável para conversar sobre sexo. Os amigos são as pessoas com quem 33% dos entrevistados falam sobre o assunto e 41,67% não conversam com ninguém.

O mesmo levantamento mostrou também que apenas1% dos adolescentes do sexo masculino já foi ao urologista. Já entre as meninas, apenas 34% fazem consultas anuais ao ginecologista. A falta de informação pode gerar dúvidas e mitos. Confira o que é verdade e mentira em relação à polução noturna:

  • Os sonhos molhados não são sinal de doença;
  • A polução noturna não reduz a imunidade;
  • Ejacular durante o sono não reduz o tamanho do pênis nem a quantidade de esperma;
  • A frequência com que os sonhos eróticos acontecem varia de pessoa para pessoa;
  • Masturbação não necessariamente impede episódios de polução noturna.

Tem tratamento?

Não existe tratamento para polução noturna por ser um processo natural do corpo. É comum que uma vida sexual ativa reduza a quantidade de episódios. Caso eles estejam atrapalhando a vida sexual e social da pessoa, é indicado conversar com profissionais como terapeutas ou sexólogos. 

Boa noite e bons sonhos!

Compartilhar artigo

Descubra mais conteúdo sobre:

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email