Os cegos sonham? Explicamos como sonha quem não enxerga

30 de agosto, 2021

Os cegos sonham? Explicamos como sonha quem não enxerga

Falar em sonhos é falar em narrativas complexas, com imagens surreais e muitas vezes bizarras. Isso até faz algum sentido, afinal quando lembramos de um sonho é quase sempre pela história, seja ela boa ou ruim. Por outro lado, isso levanta um questionamento: cegos sonham?

Até porque se nós associamos o sonho à formação de imagens no cérebro e as pessoas cegas não têm esse referencial… 

Afinal, os cegos sonham?

Sim, as pessoas cegas sonham e é necessário derrubar o mito que associa sonhar com a formação de imagens.

De fato, a visão é o sentido mais comum durante um sonho, mas ele também pode ter sensações de tato, audição e até mesmo olfato e paladar, além de sentimentos viscerais. 

Tente se lembrar, por exemplo, de algum sonho seu no qual você comia algo. Será que aquilo não tinha sabor? Pode ser que sim. Ou então a sensação de um abraço, um beijo. Nunca foi apenas visão. 

A formação dos sonhos

É possível sonhar em qualquer uma das quatro fases do sono, inclusive durante uma soneca, mas eles acontecem majoritariamente no sono REM – Rapid Eye Movement, que é mais presente na segunda metade da noite. 

Durante essa fase, acontece uma intensificação da atividade cerebral, o que cria um sonho mais vívido e que pode desafiar as leis da física em situações inexistentes na vida real.

O porquê de sonharmos ainda permanece sem uma resposta conclusiva, mas algumas das teorias incluem a representação de desejos, sinais do cérebro e do corpo durante o sono, processamento dos fatos vividos durante o dia e até uma forma de psicoterapia. 

Como são os sonhos das pessoas cegas

Antes de mais nada precisamos entender que existem diferentes níveis de deficiência visual. Além da cegueira com perda da visão total (amaurose), existem diferentes níveis de perda de visão e visão residual, a chamada “cegueira parcial” (ou legal ou profissional). Esse grupo abriga um grande leque de pessoas, desde os que só conseguem distinguir vultos ou objetos a curta distância até aqueles que têm percepção de luz.

Há também uma outra classificação importante que ajuda a explicar como os cegos sonham. A deficiência visual pode ser congênita (ou seja, de nascença) ou adquirida. No caso da cegueira adquirida, a forma de sonhar também depende da idade na qual se perdeu a visão total ou parcialmente. 

Quanto mais cedo uma pessoa perde a visão, menor a probabilidade de que ela consiga formar imagens durante o sonho. Entende-se que crianças que ficaram cegas antes dos cinco anos de idade sonhem sem visuais

Essas pessoas acabam tendo maior percepção sensorial durante os sonhos, como sabores e aromas. Além disso, o conteúdo tende a ser menos agressivo.

Já pessoas que adquiriram a cegueira depois dos cinco anos são capazes de desenvolver sonhos imagéticos, o que sugere a existência de uma janela de desenvolvimento da capacidade de sonhar visualmente.

O ciclista britânico e campeão paralímpico ​​Neil Fachie falou sobre isso em uma entrevista. Ele, que foi perdendo a visão ao longo da vida, tem a “sensação” de que o que vê em seus sonhos é similar ao que via quando era mais novo, tanto que as imagens são mais definidas quando ele está dormindo do que quando ele está acordado.

“(…) a minha visão, na verdade, é melhor nos meus sonhos do que é provavelmente na minha vida real. Isso me parece bastante interessante”, explica o atleta.

A esposa de Neil, a também ciclista paralímpica Lora Fachie, perdeu a visão aos cinco anos devido a uma doença hereditária. Hoje em dia ela só tem percepção de luz. Por conta da idade em que deixou de ver, Lora não distingue nem sequer as cores em seus sonhos. 

Já sua mãe e seu irmão mais velho, que também têm a mesma doença e começaram a perder a visão mais tarde, ainda são capazes de sonhar em cores, o que Lora define como “fascinante”. 

As imagens que se formam quando pessoas cegas sonham

A formação de imagens depende muito da fase na qual alguém perdeu a visão, portanto não existe uma explicação única sobre as imagens que as pessoas cegas sonham.

Aqueles com cegueira congênita têm menos movimentos dos olhos durante o sono REM do que os videntes. Vale lembrar que essa é a fase na qual acontecem majoritariamente os sonhos. 

Considerando que REM significa Rapid Eye Movement ou Movimento Rápido dos Olhos, para muitos estudos mais antigos, este chegou a ser fator importante que ajudava a entender o sonhar dessas pessoas. Acontece que pessoas com cegueira adquirida também perdem esse movimento ocular, sugerindo que esse não é um fator determinante para que um sonho tenha ou não imagens. 

Atualmente é virtualmente impossível dizer se uma pessoa cega de nascença sonha com imagens. Isso acontece porque o conteúdo dos sonhos só pode ser “acessado” por aquele que sonhou e, sem a referência “do que é ver”, não é possível que essa seja uma afirmação certeira. 

“Mesmo que existam cores e imagens em seu cérebro durante o sonho, como ele seria capaz de reconhecê-los?“, questiona um estudo espanhol de 2017.

Por outro lado, pessoas com deficiência visual têm a mesma capacidade de imaginação do que aquelas que enxergam. Se um vidente é capaz de imaginar algo que nunca viu, porque uma pessoa cega também não seria? Mas essa é uma discussão bastante complexa.

E os pesadelos?

Do mesmo jeito que os cegos sonham, eles também têm pesadelos. Aliás, pesquisas indicam que deficientes visuais têm mais pesadelos do que quem enxerga, especialmente em casos congênitos.

Para isso não existe explicação definitiva, mas a teoria mais aceita atualmente é que estes sonhos aterrorizantes reflitam as dificuldades e ameaças que esse grupo enfrenta durante o dia, maiores do que para o restante da população.

Sonhar é para todos. Boa noite.

Compartilhar artigo

Leia também

Arrow
Arrow
Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email