Quer receber mais conteúdos gratuitos sobre o sono?

CloseIconMenu

01 de julho, 2022

Quais são as cirurgias para apneia do sono

Quais são as cirurgias para apneia do sono

A apneia do sono é um distúrbio do sono no qual a pessoa respira menos profundamente do que deveria ou tem várias paradas respiratórias enquanto dorme. Só no estado de São Paulo, 30 milhões de pessoas sofrem com esse problema, de acordo com a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia. A cirurgia para apneia é uma das soluções para esse distúrbio, mas ela costuma ser indicada pelos médicos quando os tratamentos não-cirúrgicos não são efetivos.

Existem dois tipos de apneia do sono, a Apneia Obstrutiva do Sono (AOS), que é mais comum, e a Apneia Central do Sono (ACS). Quem sofre com a primeira passa por episódios repetitivos de obstrução das vias aéreas superiores enquanto dorme. Já na Apneia Central do Sono há uma falha na comunicação do cérebro com os músculos respiratórios: os sinais adequados não são enviados, mas quando são, os músculos não respondem a estes estímulos.

Para a Apneia Obstrutiva do Sono existem vários tipos de cirurgias. Já para a Apneia Central do Sono existe apenas um procedimento. Quem indica a melhor cirurgia para cada caso, se o procedimento for necessário, é o médico especialista em sono. Conheça abaixo cada um dos tratamentos cirúrgicos para apneia do sono.

Cirurgia para Apneia Central do Sono 

Estimulação do nervo frênico transvenoso

A cirurgia para Apneia Central do Sono consiste em fazer um implante que estimula o nervo frênico. Os médicos consideram fazer esse procedimento cirúrgico para casos de ACS considerados de moderado a grave.

O nervo frênico é um nervo que se origina no pescoço e está ligado ao diafragma. Ao ser estimulado, ele ajuda a regular a respiração. O implante é personalizado para cada pessoa garantindo a quantidade certa de estímulo.

Cirurgias para Apneia Obstrutiva do Sono 

Estimulação do nervo hipoglosso (HNS)

Já para a Apneia Obstrutiva do Sono também é possível uma solução cirúrgica usando o estímulo de um nervo. Nesse caso, um dispositivo fornece corrente elétrica para o nervo hipoglosso, responsável pelos músculos associados à movimentação da língua. Uma voltagem, que pode ser ajustada, é liberada fazendo com que a língua enrijeça ou avance e desobstrua as vias aéreas.

Uvulopalatofaringoplastia

A cirurgia mais comum para Apneia Obstrutiva do Sono é a uvulopalatofaringoplastia. O nome enorme parece assustador, mas ele apenas designa uma série de procedimentos cirúrgicos na mesma região do corpo. 

É que a uvulopalatofaringoplastia remove ou reduz partes das amígdalas, úvula e palato mole. A úvula, famosa “goela”, se encontra no palato mole e é ladeada pelas amígdalas.

Traqueostomia

Essa é uma cirurgia para apneia mais invasiva e feita apenas quando o paciente corre risco de vida. A traqueostomia conecta um tubo diretamente à traqueia de uma pessoa através de um orifício no pescoço. A respiração deixa de ser pelo nariz e pela boca.

Amigdalectomia

Esta é a cirurgia de remoção das amígdalas, estruturas localizadas entre o final da boca e o começo da garganta e do nariz. Um estudo feito por pesquisadores dos Estados Unidos e Portugal mostrou que esse procedimento reduziu os sintomas de AOS em mais de 85% de pacientes adultos e curou 57%.

Cirurgias no nariz

Algumas cirurgias nasais são indicadas como tratamento para a apneia obstrutiva do sono, mas diferentes estudos contestam seus resultados. No geral, elas removem alguns bloqueios e podem melhorar a respiração, promovendo um sono de maior qualidade e diminuindo roncos. 

As cirurgias para apneia no nariz podem tornar o uso do CPAP, o tratamento mais famoso para AOS que consiste no uso de um aparelho para dormir, mais confortável. As cirurgias nasais são:

Septoplastia – procedimento realizado para corrigir o desvio de septo, o osso da cartilagem que divide as narinas;

Rinoplastia – é uma cirurgia que faz alterações estéticas, mexendo na parte externa do nariz;

Cirurgia da válvula nasal  – a função da válvula nasal manter o caminho aberto para a passagem de ar. A cirurgia é feita para deixar essa passagem aberta no ponto  mais estreito;

Cirurgia endoscópica dos seios da face – o objetivo desse procedimento é melhorar a drenagem dos seios da face e melhorar o fluxo de ar através do nariz;

Cirurgia dos cornetos nasais (turbinectomia) -essa cirurgia é feita para ajudar quem tem dificuldades de respirar por conta do “inchaço” (hipertrofia) dos cornetos nasais, também conhecidos como conchas nasais. A função desses cornetos é favorecer a circulação do ar.

Cirurgias para apneia na região da língua

Procedimentos cirúrgicos na região da língua para tratar apneia são feitos quando essa parte do corpo bloqueia as vias aéreas.

Avanço do músculo genioglosso

Essa cirurgia coloca para frente o músculo genioglosso, responsável por fazer a língua se projetar para frente. O procedimento é indicado em caso de obstrução da região da hipofaringe. Com o avanço desse músculo para frente a probabilidade de que ele atrapalhe a respiração noturna diminui. 

Suspensão do osso hióide

Essa cirurgia é mais eficaz se for feita em conjunto com outros procedimentos, como a amigdalectomia, avanço do músculo genioglosso ou uvulopalatofaringoplastia. O osso hióide está localizado na parte superior e se conecta aos músculos da língua. Durante o procedimento, ele é movimentado tendo como consequência uma movimentação da língua e a abertura das vias aéreas. 

Glossectomia da linha média

Essa cirurgia para apneia remove o tecido da base da língua com o intuito de abrir as vias aéreas. O resultado desse procedimento para a melhora dos sintomas da apneia do sono é melhor quando combinada com outras cirurgias, como a uvulopalatofaringoplastia.

Cirurgia do Avanço Maxilomandibular

Durante esse procedimento a mandíbula é movida para frente, abrindo espaço na garganta, bem onde ela se conecta à passagem nasal. Um compilado de estudos com dados de 518 pacientes mostrou que a cirurgia de avanço maxilomandibular teve sucesso cirúrgico em 86% deles e curou 39%.

Essa cirurgia também pode ser chamada de bimaxilar. Nesse caso os ossos da mandíbula superior e inferior são movidos para a frente.

Vale lembrar que mesmo com toda essa diversidade de cirurgias, os especialistas só recorrem a estes procedimentos quando os outros tratamentos não se mostram efetivos. Caso você sofra de apneia, converse com seu médico para encontrar a melhor forma de amenizar os sintomas.

Boa noite!

Compartilhar artigo

Descubra mais conteúdo sobre:

Leia também

Faça parte da comunidade Persono
Enviaremos somente conteúdos relevantes para contribuir com a qualidade do seu sono e não encher a sua caixa de email